sobrepontes

Fluxo e contrafluxo entre a Ponte Velha e a Ponte dos Ingleses. Um porto abandonado e um projeto de porto inconcluso na praia do Poço da Draga, avizinhadas de outra obra inacabada, o Acquário do Ceará. Por sobre as ruínas de concreto é a engenharia imaterial da imagem que liga pontes, afetos, que dá passagem. Eu e a fotógrafa Dayane Araújo misturamos nossos trajetos aos do morador do Poço e documentarista, Álvaro Graça Júnior. Se tratam de duas séries de dupla-exposições sobre filme fotográfico, uma em cor e outra em preto, nas quais as três distintas percepções do mesmo espaço vão se misturando e produzindo encontros improváveis entre as construções e os corpos dos habitantes e frequentadores dali.

Sobrepontes nasce de um arco de trabalhos dos últimos quatro anos, no contexto de escrita de minha tese Comunidade Visível: Narradores de Imagens e Memórias do Poço da Draga (PPGS/UFC 2017-2021).

Sobrepontes. Ensaio/fotozine [em finalização]. Álvaro Graça Jr. / Dayane Araújo / Felipe Camilo. 2021.

 

Next Post

Previous Post

© 2021 Felipe Camilo